PÓS- GRADUAÇÃO


Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas 

A iniciação científica na graduação não só contribui para a formação diferenciada de seus alunos como também os prepara para o ingresso em cursos de pós-graduação na UFOP e em outras instituições de ensino superior. Na UFOP, o curso de pós-graduação em Ciências Biológicas, inserido no NUPEB, foi pioneiro em oferecer linhas de pesquisa em áreas afins à Farmácia. O NUPEB foi criado em 1994 com a participação, desde a sua origem, de professores da Escola de Farmácia e do Departamento de Ciências Biológicas do Instituto de Ciências Exatas e Biológicas (ICEB) / UFOP. Em novembro de 2006, foi recomendado pela CAPES/MEC o primeiro curso de pós-graduação Stricto sensu na área da saúde na UFOP, o curso de pós-graduação em Ciências Farmacêuticas (Cipharma).

O Programa de Pós-graduação stricto sensu em Ciências Farmacêuticas (CiPharma) da Escola de Farmácia envolve diferentes departamentos da UFOP, refletindo a característica multidisciplinar da área farmacêutica, que integra a química e a biologia para atender a humanidade no tocante a fármacos e medicamentos. Programa apresenta como área de concentração: Fármacos e Medicamentos e a linha de pesquisa: Estudos e Desenvolvimento de Bioativos e Medicamentos. Atualmente, o CiPharma, é constituído por docentes dos Departamentos de Farmácia (DEFAR) e Análises Clínicas (DEACL) da Escola de Farmácia e de Química (DEQUI) do ICEB da UFOP.

O Programa foi concebido considerando a biodiversidade brasileira, considerada a maior do mundo, e a dependência externa do país no setor de fármacos e medicamentos, área inclusive incluída na Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE) como uma área prioritária para o desenvolvimento do Brasil. Assim, este programa pretende produzir conhecimento a partir da biodiversidade brasileira, utilizando-a de forma sustentável para atender as necessidades nacionais, referentes a fármacos e medicamentos para resolução de problemas de saúde da sociedade brasileira.

Dentro deste referencial, o programa visa à formação de recursos humanos para docência e pesquisa, capazes de formarem outros pesquisadores independentes, geradores de novas linhas de pesquisa e conhecimento, de modo a criar gerações competentes para gerir o processo tecnológico na área de Ciências Farmacêuticas. O Programa foi iniciado em janeiro de 2006 com o apoio da administração superior da Universidade, através da concessão de cinco bolsas de mestrado financiadas pela UFOP, sendo o CiPharma o primeiro curso de pós-graduação stricto sensu na área da saúde na UFOP.

Para maiores detalhes acesse o site: www.cipharma.ufop.br

Pós- graduação em Nanotecnologia Farmacêutica

A Nanotecnologia voltada à Saúde vem se desenvolvendo no Brasil desde meados da década de 1990, demonstrando um crescimento exponencial. Este crescimento se deu na esteira de iniciativas governamentais, operacionalizadas pelo CNPq/MCT, através de editais públicos para a implementação de Redes de Pesquisa em Nanotecnologia (2001 e 2005). Em decorrência da experiência acumulada ao longo da última década de atividades em Rede, e como uma evolução natural do crescimento da área no Brasil, a proposta de criação do Curso de Doutorado em Nanotecnologia Farmacêutica foi elaborada por um conjunto de pesquisadores com amplo histórico de pesquisa e desenvolvimento de produtos de base nanotecnológica voltados para a saúde humana.

Dentre os diferentes enfoques e aplicações da Nanotecnologia, a área farmacêutica assume destaque inquestionável, devido ao impacto que a tecnologia em nanoescala imprime positivamente à terapêutica. Nos últimos anos, o número de artigos científicos e o depósito de patentes, crescentes no tema, demonstram a sua importância e relevância nacional e internacional.

Avaliando-se a trajetória da Nanobiotecnologia no Brasil, é possível afirmar que passos importantes já foram dados e gargalos suplantados. Com a especialização crescente nos temas relacionados à saúde, a nanobiotecnologia e a nanotecnologia farmacêutica se destacam na geração de novos conhecimentos. Na atualidade existem vários grupos de pesquisa distribuídos pelo País que atuam em Nanotecnologia Farmacêutica, de forma eficiente e competitiva. Esses grupos de pesquisa formam a base do PPGNanofarma.

O parque instrumental moderno e adaptado está disponível no conjunto das IES associadas para o desenvolvimento de atividades em nanotecnologia voltada à saúde. Considerando que um dos maiores desafios da Nanotecnologia Farmacêutica no Brasil é a falta de pessoal especializado para efetivo desenvolvimento tecnológico e transferência de tecnologia nas interações universidade-sociedade, esses grupos se uniram para a criação do Programa de Pós-Graduação em Nanotecnologia Farmacêutica, nível doutorado. Além disso, existe no Brasil uma assimetria de distribuição de pesquisadores atuantes no setor produtivo com expertise em Nanotecnologia Farmacêutica, o que contribui para o agravamento das desigualdades regionais. Isto posto, configurou-se como oportuna e necessária a implementação de um programa de doutorado multiinstitucional em Nanotecnologia Farmacêutica. O PPGNanofarma é uma associação de 9 IES, a saber: UFG, UFRGS, UFSC, USP-Ribeirão Preto, UNESP-Araraquara, UFSM, UFOP, UFPE e UFRN.

No Segundo semestre de 2008, em resposta ao EDITAL CAPES 504/CII-2008 REDE-NANOBIOTECNOLOGIA-BRASIL, o projeto de constituição da “Rede Brasileira de Nanotecnologia Farmacêutica” foi enviado à CAPES. A coordenação do projeto de formação da Rede ficou sob responsabilidade da Profa. Sílvia S. Guterres (UFRGS). Um dos resultados esperados que foram elencados no projeto de constituição da rede foi a criação de um “Doutorado em Nanotecnologia Farmacêutica” organizado através de uma rede nacional de instituições. Tal resultado foi consolidado pela criação em 2010 do PPGNanoFarma. Os Pesquisadores do PPGNanoFarma compõem umas das Redes do INCT-IF CNPq-MCTI (2010-2014), assim como a Rede de Nanotecnologia Farmacêutica no âmbito do Edital CAPES de Redes Nanobiotec-Brasil (2010-2014).

O PPGNanofarma obteve conceito Muito Bom em todos os quesitos avaliados na Avaliação Trienal 2013 da CAPES (2010-2012), tendo sido atribuída nota 4.

Para maiores detalhes acesse o site:https://plone.ufrgs.br/ppgnanofarma